Surama Jurdi

Carregando...

Tesla está anos à frente dos concorrentes e parece que não perderá velocidade tão cedo..

Tesla está anos à frente dos concorrentes e parece que não perderá velocidade tão cedo.

by Suram Jurdi
Tesla está anos à frente dos concorrentes e parece que não perderá velocidade tão cedo.

Para poder fazer o que a Tesla fez, você teria que contratar alguns dos melhores arquitetos do mundo e mantê-los escondidos do mundo por anos até que eles apresentassem um chip que funciona.

Tesla está anos à frente dos concorrentes e parece que não perderá velocidade tão cedo.

Muitos dos principais fabricantes de automóveis do mundo estão alcançando a Tesla. Acredito que isso ocorre porque muitos deles simplesmente não acreditavam que a Tesla pudesse ter sucesso. Mas se você observar o volume de vendas da Tesla para o Tesla Model 3, existem alguns pontos de prova significativos que a empresa possui. De fato, em dezembro, o Tesla Model 3 foi o terceiro carro mais vendido em toda a Europa. A Tesla não está apenas comendo as vendas híbridas dos fabricantes de automóveis europeus, mas também os veículos movidos a gás. A indústria automotiva não é apenas formada pelos fabricantes de automóveis, também inclui fornecedores e seus parceiros, e na Alemanha esse ecossistema é sem dúvida o maior.

Como chegamos aqui?

 Muitos fabricantes de automóveis simplesmente definiram a Tesla como uma empresa que não poderia ser executada e que nunca seria bem-sucedida. Isso se mostrou verdadeiro no “Model 3”, lançado como parte da estratégia da empresa para alcançar um mercado mais amplo e o mais importante, a lucratividade. A Tesla lutou muito para entregar o “Model 3” com vários contratempos e tropeços, mas eventualmente a empresa aprendeu e começou a enviar o “Model 3s” em volume e já entregou 400.000 veículos até agora. Ninguém realmente esperava que a Tesla pudesse enviar 400.000 “Model 3s” até 2020, especialmente os fabricantes de automóveis europeus. Tanto que a Mercedes e a BMW tiveram abalos significativos, incluindo demissões no caso da Mercedes e substituindo o CEO no caso da BMW. A maioria desses impactos vem do “Model 3” da Tesla e do sucesso do veículo em vender os mesmos segmentos de sedãs de luxo compactos nos quais a BMW, a Mercedes e a Audi têm maior volume. O “Model 3” é algo diferente, completamente mais rápido e dramaticamente tecnologicamente mais avançado. Por exemplo, o Tesla “Model 3” Performance foi testado contra o BMW M3 no ano passado pela Top Gear e o venceu em termos de tempo de pista e frenagem, o que é bastante inesperado para a versão de desempenho do veículo elétrico “mainstream” da Tesla. O desempenho do veículo é bastante importante para a reputação e as vendas da marca, mas o mais importante é a experiência que o cliente sente e os recursos automatizados do veículo. É aí que a Tesla está milhas à frente da concorrência.

Muitos dos concorrentes da Tesla ainda vivem em uma época em que um cliente compra um veículo uma vez e a única coisa que o fabricante faz é lidar com garantia e recall. Por outro lado, com a introdução inicial de plataformas de computação centralizada baseadas na NVIDIA, a Tesla efetivamente construiu um veículo controlado por software que é uma plataforma viva, evoluindo constantemente de acordo com as necessidades dos usuários e o roteiro da Tesla ao longo do tempo. Embora Elon possa ter grandes expectativas em relação à capacidade de dirigir em veículos Tesla, a abordagem iterativa da empresa ao software está ajudando-os a se aproximarem cada vez mais de um veículo que dirige além das capacidades atuais de nível 2 +. A maneira que a Tesla encontrou para tornar isso capaz foi através de um esforço de vários anos para construir sua própria arquitetura de computação personalizada de alto desempenho para FSD (Fully Self Driving), que inclui vários aceleradores de IA (sistema de computador projetado para acelerar aplicativos de inteligência artificial, especialmente redes neurais artificiais). A Tesla está usando muito o aprendizado de máquina para acelerar o que o carro vê e como ele pode reagir, além de adicionar recursos como o Sentry Mode, que proporcionam tranquilidade aos clientes. O sistema não deixa de ter suas falhas, como o NTSB descobriu em sua investigação de uma morte recente em um Tesla, onde culparam a empresa, a CalTrans e a NHTSA.

O computador FSD da Tesla, que até o momento ainda não é “Totalmente Autônomo”, reivindica um desempenho computacional de 144 trilhões de operações por segundo, um aumento significativo em relação ao uso do Drive PX2 da NVIDIA na versão anterior da solução computacional da Tesla. O novo computador FSD da Tesla possui recursos que impressionaram os outros fabricantes de automóveis na medida em que não têm muita certeza do que fazer. Uma teardown realizado pela nikkei do “Tesla Model 3” concluiu que os eletrônicos da Tesla estão 6 anos à frente dos fabricantes de carros nº 1 e 2 do mundo, Toyota e VW. Eles até disseram que um engenheiro de uma grande montadora japonesa ficou atordoado, dizendo que "não podemos fazer isso". Isso coloca muitos dos concorrentes da Tesla em desvantagem significativa em termos de acompanhar as capacidades da empresa e quão próximos eles podem estar da capacidade de dirigir totalmente autônoma. Com a Tesla já causando mágoa a eles no ano passado, o futuro próximo não lhes parece brilhante, a menos que eles se adaptem rapidamente.

Como eles escapam?

Os fabricantes de automóveis estão se esforçando para responder à Tesla, já há algum tempo. Alguns estão em parceria com empresas como a Waymo, enquanto outros estão comprando suas próprias soluções autônomas como Argo.ai e Cruise. No entanto, muitas dessas empresas ainda não têm acesso ao mesmo hardware, software e chips que a Tesla e, embora algumas tenham alguma experiência em software, é o que eu chamaria de rudimentar, comparativamente. É como a diferença entre fazer fogo lascando pedras ou usando um isqueiro, uma grande diferença.

Para poder fazer o que a Tesla fez, você teria que contratar alguns dos melhores arquitetos do mundo e mantê-los escondidos do mundo por anos até que eles apresentassem um chip que funcionasse. Tesla efetivamente fez isso contratando pessoas como Jim Keller, da Intel. Até onde eu sei, nenhum dos fabricantes de automóveis tem a mão de obra necesária ou a vontade de criar uma divisão inteira para construir chips que atendam suas próprias necessidades.

Alguns fabricantes tentaram construir arquiteturas de software totalmente novas para competir com a Tesla, mas encontraram obstáculos. Mais recentemente, a VW teve alguns problemas significativos de software com o VW ID3, que estava previsto para ser lançado no final deste verão. No entanto, o software do carro parece ter sido desenvolvido muito apressadamente e, como resultado, sofre de bugs e erros significativos e pode ter que ser adiado para ser considerado um produto que pode ser comercializado. As arquiteturas de software, especialmente quando construídas a partir do zero, não são algo que deva ser abordado de ânimo leve ou que pode ser feito simplesmente jogando recursos no problema. Essas coisas levam tempo e é necessário aprender ao longo de muitos anos construindo esses sistemas para carros elétricos e, eventualmente, tornam-se mais polidas e prontas para o lançamento.

Hoje existem alguns fabricantes que estão oferecendo soluções para fabricantes de automóveis que podem permitir que eles tenham uma chance de lutar contra a Tesla, especialmente os fabricantes europeus. A Tesla decidiu fazer isso sozinha quando se trata de construir sua arquitetura de computadores, mas os concorrentes da Tesla têm opções e isso é uma coisa boa para eles, porque há uma chance de que esses fornecedores possam eventualmente superar a Tesla. As empresas de chips são muito boas na construção das melhores e mais recentes arquiteturas, principalmente quando sabem que têm clientes esperando por elas. A indústria automobilística demorou a adotar as mais recentes tecnologias de chips dos líderes da indústria e parece que a indecisão está realmente prejudicando-os significativamente.

O que o futuro nos reserva?

Os fabricantes de automóveis que foram pegos de surpresa não estão completamente afundados, mesmo que não possuam a experiência. A Tesla não é a única empresa no mundo fabricando chips de IA para uso automotivo, especificamente para capacidades de direção autônoma. Os fabricantes precisam olhar cuidadosamente quais são suas opções e considerar que não podem fazer isso sozinhos e que precisam fazer uma parceria estreita com alguém que tenha experiência e know-how para criar essas coisas e iterá-las rapidamente. E como nenhum desses fabricantes de automóveis vai repetir o que a Tesla fez, eles realmente devem considerar procurar uma empresa que tenha a experiência, como a NVIDIA. A NVIDIA desenvolve soluções de computação automotiva desde o início dos dias da Tegra, antes da plataforma DRIVE, e faz isso há mais de uma década. A NVIDIA agora construiu a infraestrutura completa e a arquitetura do processador para permitir que seus parceiros sejam competitivos com a Tesla, especialmente com a introdução da plataforma DRIVE AGX Orin de última geração, que oferece a Tesla uma concorrência justa. A abordagem da NVIDIA também é definida por software, o que acredito que a empresa aprendeu ao longo dos anos como o caminho certo para a plena autonomia e como competir com a Tesla. Os fabricantes de automóveis que lutam para acompanhar a Tesla devem considerar seriamente dar uma nova olhada na NVIDIA se quiserem ter alguma esperança de serem relevantes.

Autor: Patrick Moorhead

Fonte: Forbes

Traduzido por Equipe Surama Jurdi